O Jornal

GAZETA DE MACAU – A VERDADE AO SEU ALCANCE

O jornal Gazeta de Macau foi criado numa tarde de sábado de agosto de 1989, nas dependências do curso de Comunicacão Social da UFRN. Na ocasião, os alunos universitários Aluisio Viana, Margareth Grilo, João Rosendo, Eugênio Parcelle, Ana Farkatt, Moisés de Lima, Juliano Freire e o estudante de Artes, Adrovando Claro, elaboraram as primeiras pautas e cada um ficou responsável pelas matérias. Na semana seguinte o jornal foi lancado em Natal e Macau e provocou muita curiosidade, pois possuia uma linha diferente da comum na imprensa local, em independência e formacão de opiniões.

Esses alunos da UFRN nos anos seguintes concluiram seus cursos e cada qual seguiu seu destino no mercado de trabalho. Mas, uma linha de frente ficou editando a Gazeta, principalmente, o mentor maior da publicacão, Aluisio Viana, que teve a iniciativa de ousar fazer imprensa no interior do Estado, numa época difícil para ter credibilidade num projeto desta envergadura. Fora da capital, publicacões de jornais em off set com uma determinada periodicidade só até então se resumia a imprensa de Mossoró e alguns alternativos da Grande Natal.

A Gazeta de Macau passou por todas as fases perminentes a imprensa independente, sofreu paradas no seu trajeto por falta de apoio financeiro, conduziu forte imparcialidade no panorama da cidade salineira de Macau e também foi um intenso laboratório para quem colaborou em suas páginas. Atualmente, alguns nomes que se destacam na imprensa local e nas assessorias foram colaboradores em alguns números da Gazeta nas suas 36 edicões impressas até julho de 1998. Um apoio de reconhecível mecenas foi a do gráfico Ivanaldo da extinta gráfica Santa Maria, que sempre deu incentivo e estímulo a publicacão da Gazeta de Macau. Quando o dinheiro arrecadado com as publicidades não fechava o orcamento da impressão do jornal, Ivanaldo arrumava um desconto. Quem ignorar o que Ivanaldo fez nos anos 80 e 90 para a pequena imprensa, principalmente para os jornais do interior, está cometendo um grande erro e injustica com a História da Imprensa Alternativa do Estado.

A Gazeta não se acomodou as dificuldades e sempre ousou em teimar na independência, como em busca de seu espaco próprio. Em 1997 foi um dos primeiros jornais do interior do Rio Grande do Norte a circular com capa colorida. Ainda no mesmo ano saiu na frente de todos os jornais do Rio Grande do Norte e criou sua edicão on line na internet. A Gazeta sempre incomodou por nunca pertenceu a nenhum grupo e não aceitou em suas páginas a politicagem que ainda faz da imprensa vitrine para manipular a opinião pública.

Em 2004, a Gazeta de Macau completa 15 anos e mais uma vez retorna com sua edicão on line, um ensaio para o retorno do jornal nas bancas com periodicidade quinzenal.

(Adrovando Claro – repórter-fotográfico e articulista colaborador da Gazeta de Macau)

Fonte: http://gazetademacau.tripod.com/ojornal.htm